22 julho 2005

DESNORTE

Já sei que uma análise de conjuntura se faz com estados de coisas e não com estados de espírito. Mas, que raio, isto começa cada vez mais a angustiar-me e a revoltar-me! Então é-nos pedido para:
- pagarmos o IVA a 21%;
- pagar IRS (nos escalão mais elevado) a 42%;
- pagar os combustíveis mais caros;
- apertarmos o cinto e sermos compreensíveis, pois é preciso por as contas públicas em ordem…

e fazem esta asneirada que é prosseguir com os planos de construção da OTA e o TGV, que basicamente não serve para nada.
Campos e Cunha demitiu-se, e as razões pessoais que invocou mais não são do que a vergonha e pudor em compactuar com estes gastos estapafúrdios. Campos e Cunha saiu em confronto com medidas que deitavam, e deitam, por terra todo o seu trabalho.
Campos e Cunha saiu. Se eu estivesse no lugar dele fazia o mesmo.

NAP

1 Comments:

At 25 julho, 2005 22:38, Anonymous jl said...

A "estória" da reforma do BP não foi nem bem contada nem bem digerida.
Mas resistiu e aceitou ficar para cumprir a "missão" que entendeu dever aceitar.
Não para o Curriculum Vitae nem para "abrir portas" para outros voos. Não precisaria mais!
Ele acreditava que podia fazer "alguma coisa"!
Sem assumir aquele ar fatalista e providencial de quem nasceu para controlar e decidir o destino de todos os outros.
Não quiseram. Não deixaram!
"Amanhem-se!" - terá dito.
Por muito altruista que me considere faria RIGOROSAMENTE o mesmo.
Não merecem mais do que o que têm!

 

Enviar um comentário

<< Home