02 julho 2005

Prognósticos

Vivemos dias de Prognóstico. Como efeito secundário, ou terciário, da droga da crise, lançamo-nos num debate profundo. Já não há "talk-show", entrevista, ou confronto directo que escape a este efeito.

Todos, naturalmente, quando questionados, defendemos projectos que pensamos os melhores. Existe uma grande divergência de opiniões.

Permitam-me aqui acrescentar um degrau naquela célebre premissa popular:

"Prognósticos, só no fim do jogo".

Numa primeira análise esta ideia gera chacota, no mínimo. Porém, quando adicionada a ideia de que o jogo é que interessa, na exacta medida da capacidade de evoluir, produzir riqueza, e gerar equilíbrios sociais, percebe-se que tão parôla personagem pode muito bem ter patenteado uma nova máxima ao nível do "Penso, logo existo" Cartesiano.

É esta nova máxima que pretendo que a sociedade portuguesa adquira.

Necessário é jogar o jogo a nível internacional e pensar para dentro pois assim, criaremos aquilo que no futuro será procurado.

Exportar.

BSA

1 Comments:

At 03 julho, 2005 09:08, Anonymous JL said...

E quem é que está interessado em jogar o jogo?
Importante é defender os direitos e privilégios "adquiridos" ainda que não haja condições para pagar o preço.
Mais fácil é destruir a acção daqueles que pretendem levar o barco à deriva até bom porto.
Mais fácil é criticar aqueles que ousam construir e mudar.
Porquê?
Incompetência é a qualidade mais bem camuflada por aqueles que são a sua personificação.

 

Enviar um comentário

<< Home