25 julho 2005

Interessante




O Público dava hoje a conhecer um estudo realizado por Luís Sousa Lobo, antigo reitor da Universidade Nova de Lisboa, relacionado com a actividade científica internacional das academias portugueses. Mais particularmente com o rácio professor- número de artigos publicados fora do nosso país.
A Universidade de Aveiro aparece destacada em primeiro lugar com uma média de 1,5 artigos por cada docente de carreira. A Universidade do Minho ( que a imprensa teima em chamar de Universidade de Braga) fica num modesto sétimo lugar com uma média de 0,6 artigos por cada docente de carreira por ano, e atrás da Universidade do Algarve, Porto, Técnico, Nova de Lisboa e Coimbra.
Diz o autor que, embora esteja consciente que o estudo vá causar alguns protestos é necessário "identificar e premiar os centros de excelência"...

NAP

5 Comments:

At 26 julho, 2005 16:56, Anonymous Olivia Santos said...

Quantidade não é qualidade ;-)

 
At 09 agosto, 2005 17:16, Anonymous Anónimo said...

ESSES 0.6% DEVEM SER DO PROFESSOR NUNO OLIVEIRA...

 
At 09 agosto, 2005 17:26, Anonymous Anónimo said...

ESSES 0.6% DEVEM SER DO PROFESSOR NUNO OLIVEIRA...

 
At 15 agosto, 2005 18:48, Anonymous jl said...

Pois, Olívia, quantidade não é qualidade. Mas...
Menos de 1 (um) artigo por ano por docente é MANIFESTAMENTE pouco.
Quanto ao Prof. Nuno Oliveira tenho de defraudar as expectativas do anónimo.
Ele é um dos mais produtivos (se não o mais produtivo)da Escola de Direito e bem acima daquela média. Outros estarão a tirar proveito, estatisticamente, do seu trabalho.
Factos!

 
At 25 fevereiro, 2006 11:56, Anonymous Anónimo said...

Vema propósito uma entrevista do ex.mºReitor,pubicada no JN de 2 dias.
O título era a Quinta do Peão,assunto velho que já vem da outra reitoria e ao qual não é acrescentado nenhum motivo de interesse.Nada de novo portanto,a não ser o facto de o tamanho, principalmente da fotografia me ter impressionado.Não me recordo de ter visto outro quaquer protagonista ter direito a tanta fartura,mesmo considerando ser o sr Reitor um habitue deste jornal,muitas vezes como hoje, com notícias que o não são.Perdão.Havia uma notícia, a sua recandidatura.Mas....já o era antes de ser.Assim e sem quaquer desmérito é justo classificar a sua estratégia de markting, pelo menos eficiente,isto é, ser noticia sem noticia.Resulta assim que esta entrevista é na verdade uma cantiga,onde se utilizou a tal matreirice popular de que fala o moderador.
Resulta também ser legítimo fazer desde já algumas manifestações de vontade ao Reitor vindouro,que à falta de adversários(pedirei desculpa se estiver enganado)será àgua do mesmo mar.
Que a campanha lhe corra bem,tenha saúde e boa disposição pois é quanto basta.
Que continue na senda da fama, mas que não olvide que o seu exército é composto para além do general de muitos ofíciais e soldados e que sem eles não há vitórias.
Que ponha no seu devido lugar alguns infieis caceteiros que não respeitam nem a lei nem a ordem.
Que não venha a receber mais sentenças dos tribunais por ilegalidades várias,até porque as custas são pagas por todos.
Que ganhe as eleições por mérito seu,ou dadas as circunstâcias por desmérito de outros.
Que o novo mandato seja profíquo em transparência e na melhoria do seu sentido democrático.
Que os ofíciais do seu exército,cumpram as regras e a lei para o serem.

 

Enviar um comentário

<< Home