10 março 2006

Um partido à medida de Portas


O CDS tem um líder que não é. Nem sequer é líder. Um presidente eleito simplesmente porque Portas precisava de se distanciar, gozar férias, para depois voltar. Como sempre.
No Parlamento Ribeiro e Castro não existe. Está longe, lá na Europa. O "bando" (a expressão é dele), está, sempre esteve, à volta de Portas. A voz de Castro vai chegando fraquinha ao Partido e é a custo que os desentendimentos entre os parlamentares e o seu "líder" se vão ultrapassando. Portas vai começar a falar na Tv, pelos vistos de arte. Até quando? O filme parece seguir um caminho anunciado.

NAP

4 Comments:

At 16 março, 2006 19:32, Blogger Sónia Monteiro said...

Ele não é um líder nem nunca vai ser!

 
At 17 março, 2006 12:44, Anonymous e said...

...

 
At 24 março, 2006 16:12, Anonymous Anónimo said...

Eu diria Que o CDS/pp não é um partido mas uma união de neo-fascistas que se intitulam de Democratas. Uma vergonha que devia ser banida da cena política.

 
At 26 março, 2006 02:04, Blogger Sónia Monteiro said...

Apesar de tudo demonstrou uma atitude inteligente ao convocar Congresso Extraordinário... talvez se vislumbre um líder... Ou mesmo ele, contra todas as expectativas [inclusive as minhas) se torne num!

 

Enviar um comentário

<< Home