28 novembro 2006

O Papa, a Turquia e a UE

É interessante analisar a Turquia à luz da visita do Papa Bento XVI. Desde logo porque a manifestação mostra à saciedade algumas das piores faces turcas. O que dizer da manifestação de um milhão de pessoas contra a visita de um líder religioso? Em primeiro lugar que dificilmente se terá tratado de algo espontâneo, e em segundo que apenas num Estado ainda demasiado religioso isto acontece. Goste-se ou desgoste-se de Bento XVI o entendimento sério das suas declarações por altura da visita a uma Universidade alemã, jamais poderiam dar lugar a todo este acinte. Basta ler o discurso. No fundo é apenas um pretexto...
Mas é também uma boa ocasião para ver até que ponto está a Turquia preparada para aderir à UE. E, convenhamos, é a Turquia que pretende entrar, caber-lhe-á cumprir as condições impostas pela UE. Mas, em abono da verdade, dizer não à Turquia (em absoluto) é um disparate, e é também não olhar para o que ela pode oferecer à Europa. Com a maioria muçulmana que alberga, com a sua privilegiada posição geoestratégica, com um pé na Europa e outro na Ásia, pode chegar a altura em que a UE precise desesperadamente da Turquia.
Mas, na minha opinião, do que vejo e leio, a Turquia tem pela frente um longo caminho a percorrer até ser capaz de aderir à UE. Desde a laicização concreta e com efeitos práticos, passando pelo respeito das liberdades individuais, do homem e da mulher, da liberdade religiosa, de pensamento, de imprensa, até aos sempre delicados problemas da minoria curda.
Estou com alguma expectativa para ver como decorre a nível institucional esta visita de Bento XVI. Com tanta "paixão" religiosa à mistura, e com algumas indecisões do executivo turco, é uma boa oportunidade para testar até onde vai a tolerância turca... a ver vamos.
NAP

7 Comments:

At 28 novembro, 2006 12:59, Anonymous Anónimo said...

É preciso ver, ver!

 
At 28 novembro, 2006 22:27, Anonymous Anónimo said...

Só nao concordo com a cobertura televisiva que se tem dado ao acontecimento. Nas tv´s europeias salta a ideia de que é o "nosso" Papa que vai enfrentar a ira dos fundamentalistas. A Europa laica é uma mentira.

 
At 28 novembro, 2006 22:38, Blogger rui said...

ridículo. um milhão de pessoas contra não é espontâneo. E se fosse um milhão de pessoas a favor? Já era? bolas deixem lá os turcos não gramarem o papa à vontade.

 
At 29 novembro, 2006 09:49, Anonymous Anónimo said...

Rui,
mas os turcos podem não gostar do Papa à vontade. Aliás, é-me indiferende se gostam ou não. Eu disse que não achava uma manifestação de um milhão de pessoas, nos moldes em que foi, algo espontâneo. Continuo a achar.

NAP

 
At 29 novembro, 2006 15:35, Anonymous Anónimo said...

Em abono da verdade, não foi um milhão, mas consideravelmente menos!

 
At 30 novembro, 2006 14:24, Anonymous Anónimo said...

Falei num milhão de pessoas, e coloquei um link, pois era essa a informação dada pelo site da euronews.

NAP

 
At 30 novembro, 2006 18:37, Anonymous Joao said...

A posição pró entrada da Turquia na União Europeia só pode advir de um total desconhecimento do modo de vida turco. Ao anuir à entrada da Turquia na UE, estamos a abrir uma porta enorme ao fundamentalismo islâmico, porta essa que dificilmente será depois fechada.

 

Enviar um comentário

<< Home